quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Ufam realiza feira de produtos orgânicos nesta semana em Manaus




Serão oferecidos ao público hortaliças, vegetais e frutas, como mamão, abacaxi, tomate, melancia e abóbora, a preços abaixo do cobrado nos grandes supermercados.

[ i ]


Manaus - Produtos orgânicos terão espaço na “Agroufam 2014: Feira da Produção Familiar”, realizada nos dias 23 e 24 de janeiro, das 8h às 18h, na Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), bloco 1, no minicampus da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), no Coroado, zona leste.

Produtores agrícolas dos municípios de Careiro da Várzea, Iranduba, Urucurituba, Manacapuru, Itacoatiara e do entorno de Manaus, como os das Associações dos Produtores do Brasileirinho, dos Produtores Orgânicos do Amazonas (Apoam) e do Ramal do Pau Rosa, terão a oportunidade de expor suas produções e comercializá-las.

De acordo com um dos organizadores, Manoel Seixas Neto, do grupo Pró-rural, o objetivo é fomentar o trabalho de pequenos agricultores que praticam técnicas orgânicas de cultivo, sem o uso de agrotóxicos, facilitando o acesso aos consumidores finais.

“A agroecologia trabalha com alimentos saudáveis que não têm agrotóxicos, que agridem o ser humano e o meio ambiente. Além disso, com o evento, nós pretendemos facilitar o acesso de agricultores familiares, que poderão vender seus produtos diretamente ao consumidor final”, disse Manoel.

Heloiza Vasconcelos, representante e pesquisadora do Núcleo de Socioeconomia, da Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), disse que a feira surge como estratégia de mercado para a divulgação da diversidade de produtos da agricultura familiar. De acordo com ela, o núcleo fomenta a pesquisa e a extensão junto às comunidades agrícolas do Amazonas e a feira constitui o resultado de estudos da relação entre os comunitários.

“Trata-se de uma feira de transição, rumo a uma feira totalmente agroecológica. A AgroUfam tem como premissa estabelecer um ambiente de comercialização dos produtos da agricultura familiar, com base nos princípios agroecológicos, de desenvolvimento sustentável, segurança alimentar, de inovação tecnológica, extensão universitária e inclusão social”, comenta a pesquisadora.

Na programação, além das palestras e oficinas, estão previstas também atrações culturais. As inscrições são gratuitas para essas atividades com vagas limitadas.

A 'AgroUfam 2014: Feira da Produção Familiar' está sendo promovida pelo Núcleo de Socioeconomia da Ufam, pela Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), Secretaria de Produção Rural (Sepror) e Parque Científico e Tecnológico para Inclusão Social (PCTIS).

Fonte: http://www.d24am.com/amazonia/meio-ambiente/ufam-realiza-feira-de-produtos-organicos-nesta-semana-em-manaus/104697

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Nos Estados Unidos, pressão de consumidores faz indústria substituir corantes artificiais.

Autor: RedeNutri Published At: Seg 13 de Jan, 2014 08:54 BRST (127 Leituras.

Corantes artificiais não possuem valor nutritivo e podem causar problemas de saúde, como alergias.

A pressão das mídias sociais e de grupos de defesa do consumidor nos EUA tem forçado a indústria de alimentos a trocar alguns corantes artificiais, associados a alergias, hiperatividade e câncer, por outros naturais à base de plantas e especiarias.

A estratégia tem sido mais eficaz e rápida do que o envio de questionamentos às agências reguladoras de alimentos, segundo analistas.

Não há estudos que comprovem riscos à saúde atribuídos a corantes artificiais, mas países, especialmente na Europa, têm trocado os aditivos por corantes naturais.

Nos EUA, um caso recente de pressão bem-sucedida foi o da blogueira Vani Hari, que em 2011 publicava textos sobre os perigos de corantes e conservantes usados pela rede de fast food Chick-fil-A.
Vani recolheu 200 mil assinaturas. Em dezembro, a empresa informou que vai substituir o corante amarelo (derivado do petróleo) por outro de açafrão e páprica.

Outra blogueira, Renee Shutters, de Jamestown (NY), conseguiu 142 mil assinaturas pedindo a retirada de um corante também derivado do petróleo do chocolate M&M.A fabricante Mars diz que estuda substitui-lo por outro extraído de alga marinha.Na Europa, o mesmo doce já leva corantes naturais.

Os corantes artificiais não possuem valor nutritivo. Os problemas de saúde mais frequentemente associados a eles são as alergias, que afetam pessoas suscetíveis.  

No Brasil, atualmente a polêmica é em relação aos corantes tartrazina e caramelo 4, presentes em vários produtos, como energéticos, cerveja, sucos e refrigerantes.Grupos de defesa do consumidor pediram à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a substituição do corante após uma de suas substâncias ter sido classificada como possivelmente cancerígena.

A agência, baseada em estudos toxicológicos e em pareceres internacionais, concluiu que o corante não é tóxico ou carcinogênico e não oferece perigo na quantidade em que está aprovado.Mas o Estado da Califórnia, nos EUA, determinou a redução de corante caramelo 4 em bebidas tipo cola.

"A pergunta é: se pode diminuir a quantidade sem alterar a qualidade do produto, por que a indústria não adota esse novo padrão em todo o mundo em vez de expor a população a riscos?", questiona o químico Paulo Garcia de Almeida, membro da câmara técnica de alimentos do Conselho Regional de Química de SP. 
  
Outro lado
A indústria nega os riscos. Segundo a Abia (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação), não há evidência que justifique alterações no uso dos corantes tartrazina e caramelo 4. 

Em 2012, análise de um instituto americano apontou que a Coca-Cola à venda no Brasil era a que tinha maior quantidade da substância potencialmente cancerígena (4-MI), do corante caramelo 4.

"A quantidade de corante caramelo 4 utilizada em nossos produtos é absolutamente segura e está de acordo com os valores definidos pelo Codex Alimentarius órgão ligado à OMS e pela Anvisa", informa nota da Coca-Cola.

Entretanto, ao escolher algum produto, é preciso bom senso.  


Tudo que faz seu fígado se sentir amado. Muito bom o texto de Vera Lúcia Guedes


Por Vera Guedes Aromas & Saberes
01/20/2014




O fígado é o órgão da Mudança - ele gera, distribui e controla o suprimento de energia do corpo,
modulando a força vital. Ao sentirmos uma perda em nosso entusiasmo pela vida, sentiremos também
uma redução do apetite. Tudo que resultar em vitalidade será por nós evitado, este padrão de comportamento
pode provocar a anemia ou mesmo distúrbios de coagulação sanguínea, levando a frequentes hemorragias.

Nosso organismo tem grande habilidade de adaptação a novas condições, sejam elas climáticas ou alimentares.
Essa capacidade é grandemente prejudicada nas pessoas que não possuem essa mesma facilidade com relação
a SITUAÇÕES NOVAS. Para elas as mudanças são acompanhadas de desarranjos gastrointestinais ou mesmo
de outras alterações metabólicas, principalmente do fígado. Portanto, rejeitar o novo e não saber extrair o melhor
da situação prejudica a função desse órgão de absorver e eliminar corpúsculos estranhos no sangue. Prova de
que ele é um órgão relacionado a mudanças, esta em sua capacidade de regeneração, qualidade intensificada
em pessoas mais flexíveis às mudanças e com maior facilidade em se refazerem a partir de situações difíceis."

Metafísica da Saúde - Valcapelli e Gasparetto.

O fígado mandando um recadinho dizendo "basta, não estou bem"



Algumas coisinhas que deixam o fígado infeliz e sentindo-se mal tratado e mal amado são excessos de alimentos,
 especialmente os gordurosos, bebida alcoólica, medicação, hormônios sintéticos e até os óleos essenciais,
como já vimos podem deixá-lo profundamente infeliz, quando usado demais, e sem uma necessidade real.
Mas, nada pode deixar o fígado mais triste do que a ingestão excessiva de bebida alcoólica.

Um recadinho dizendo - "obrigada, estou me sentindo amado"

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Como substituir o amido de milho transgênico?


Hoje em dia praticamente todas as marcas de amido de milho tem o famigerado T de Alimentos Transgênicos, mas.... sempre tem um mas na Alimentação, existem maneiras de substituir o amido de milho nas receitas, veja só:

Polvilho Azedo: com uma textura aveludada, o polvilho é uma farinha bem fina. Pode ser usado para engrossar molhos, cremes, sopas e etc.

Farinha de Trigo: Textura pesada, precisa ser bem cozida para não deixar gosto na receita. Utilize quando a receita for  ficar algum tempo cozinhando. Proibido para quem tem problemas com o glúten.

Fécula de Batata: Ótimo espessante, tem uma vantagem em relação ao amido de milho,não deixa a cor opaca. Muito bom para manter a cor brilhante e viva de um molho ou creme.

Fécula de Mandioca: Tem a mesma vantagem da fécula de batata. Quando usada para substituir o amido de milho deve ser usado sempre o dobro.  Se a receita pedir 1/2  xícara de amido de milho troque por 1 xícara de fécula de mandioca.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Feiras Orgânicas